Publicações recentes

Internal Audit

Auditoria Interna de Produtos médicos: Principais passos e melhores práticas

Na atual indústria de dispositivos médicos altamente regulamentada, é fundamental garantir a conformidade com as normas de qualidade e osrequisitos regulamentares. As auditorias internas regulares desempenham um papel crucial na identificação de riscos potenciais, na manutenção de um sistema de gestão da qualidade sólido e na promoção da melhoria contínua. Ao efetuarauditorias internas eficazes aosdispositivos médicos, as empresas podem não só evitar problemas dispendiosos de não conformidade, como também melhorar a qualidade dos produtos e a segurança dos doentes.

Este artigo fornecerá um guia abrangente sobre as principais etapas e as melhores práticas para a realização de auditorias internas bem-sucedidas de produtos médicos. Exploraremos os componentes essenciais de um programa de auditoria interna, incluindo o planeamento da auditoria, o desenvolvimento de listas de verificação de auditoria e a utilização eficaz de ferramentas e recursos de auditoria. Além disso, discutiremos como evitar armadilhas comuns e implementar acções correctivas e preventivas com base nas conclusões da auditoria. Seguindo estas directrizes, os fabricantes de dispositivos médicos podem simplificar os seus processos de auditoria interna, garantir a conformidade com normas como a ISO13485 e, em última análise, fornecer produtos seguros e fiáveis ao mercado.

O papel das auditorias internas na garantia da conformidade

Auditorias internas desempenham um papel crucial na garantia da conformidade com os requisitos regulamentares e as normas de qualidade na indústria dos dispositivos médicos. Através da realização de auditorias internas regulares, as empresas podem identificar e abordar proactivamente os riscos potenciais, manter um sistema de gestão da qualidade (SGQ) sólido e melhorar continuamente os seus processos. Além disso, as auditorias internas ajudam as organizações a evitar problemas dispendiosos de não conformidade e a melhorar a qualidade dos produtos e a segurança dos doentes.

Importância das auditorias regulares

A realização de auditorias internas regulares é essencial por várias razões:

  • Identificação precoce de potenciais riscos e problemas de não-conformidade
  • Manutenção de um SGQ robusto
  • Melhoria contínua de processos e produtos
  • Evita penalizações dispendiosas por incumprimento
  • Melhoria da qualidade dos produtos e da segurança dos doentes

Além disso, as auditorias internas regulares podem ajudar as empresas a economizar custos a longo prazo. Ao identificar e resolver os problemas numa fase inicial, as organizações podem evitar recolhas dispendiosas, retrabalho e sanções regulamentares. Além disso, um SGQ bem mantido e processos em conformidade podem levar a um aumento da eficiência e da produtividade, reduzindo, em última análise, os custos globais.

Impacto nas aprovações regulamentares

As auditorias internas também desempenham um papel importante na facilitação das aprovações regulamentares. Os organismos reguladores, como a FDA e os organismos notificados, esperam que as empresas de dispositivos médicos tenham um SGQ sólido e efectuem auditorias internas regulares. Durante o processo de aprovação, estas autoridades reguladoras podem analisar os resultados das auditorias internas para avaliar a conformidade da empresa com as normas e regulamentos aplicáveis.

Ao demonstrarem um forte compromisso com a conformidade através de auditorias internas regulares, as empresas podem criar confiança junto das entidades reguladoras e simplificar o processo de aprovação. As constatações de auditoria e as acções correctivas bem documentadas podem fornecer provas da dedicação da organização à qualidade e à melhoria contínua, apoiando, em última análise, uma apresentação regulamentar bem sucedida.

Em resumo, as auditorias internas são uma ferramenta vital para garantir a conformidade, manter um SGQ robusto e facilitar as aprovações regulamentares na indústria de dispositivos médicos. Através da realização de auditorias internas regulares, as empresas podem identificar e abordar proactivamente os riscos potenciais, melhorar a qualidade dos produtos e a segurança dos doentes e poupar custos a longo prazo.

Principais componentes de uma auditoria interna de dispositivos médicos

Uma auditoria interna eficaz de dispositivos médicos consiste em vários componentes-chave que garantem uma abordagem abrangente e sistemática. Estes componentes podem ser agrupados em três categorias principais: planeamento e preparação, execução e documentação, e revisão e melhoria.

Planeamento e preparação

  • Define o âmbito e os objectivos da auditoria, centrando-se nas áreas de alto risco e nos requisitos regulamentares
  • Desenvolve uma lista de verificação de auditoria abrangente com base nas normas e regulamentos aplicáveis, como a ISO 13485 e a FDA QSR
  • Selecionar uma equipa de auditoria qualificada com experiência em sistemas de gestão da qualidade de dispositivos médicos
  • Programar a auditoria e comunicar o plano aos intervenientes relevantes

Um planeamento e uma preparação adequados constituem a base para uma auditoria interna bem sucedida. Ao definir objectivos claros e desenvolver uma lista de verificação exaustiva, a equipa de auditoria pode avaliar eficazmente a conformidade e identificar potenciais riscos.

Execução e documentação

  • Conduzir reuniões de abertura e de encerramento para discutir o processo de auditoria e as conclusões
  • Analisa a documentação, os registos e os processos relacionados com o SGQ dos dispositivos médicos
  • Entrevista o pessoal para recolher informações e avaliar a compreensão dos procedimentos
  • Observa as actividades e as instalações para verificar o cumprimento dos requisitos
  • Documenta as conclusões da auditoria, incluindo não conformidades e observações, utilizando um formato normalizado

Durante a fase de execução, a equipa de auditoria recolhe provas através da análise da documentação, de entrevistas e de observações. A documentação exaustiva das conclusões é crucial para acompanhar as acções correctivas e demonstrar a conformidade aos organismos reguladores.

Revisão e melhoria

  • Analisa os resultados das auditorias para identificar tendências e questões sistémicas
  • Desenvolve e implementa acções correctivas e preventivas (CAPA) para resolver os casos de não conformidade
  • Acompanha a implementação e a eficácia do CAPA para garantir uma melhoria contínua
  • Comunica os resultados da auditoria e os planos de melhoria à direção e às partes interessadas relevantes
  • Incorpora as lições aprendidas no planeamento de auditorias futuras e nas actualizações do SGQ

A fase de revisão e melhoria é fundamental para impulsionar a melhoria contínua do SGQ dos dispositivos médicos. Ao analisar os resultados das auditorias, implementar um CAPA eficaz e comunicar os resultados, as organizações podem melhorar a qualidade dos produtos, a segurança dos doentes e aconformidade regulamentar.

A realização regular de auditorias internas com estes componentes-chave ajuda as empresas de dispositivos médicos a manterem um SGQ robusto, a identificarem e mitigarem proactivamente os riscos e a economizarem custos ao evitarem problemas dispendiosos de não conformidade. Seguindo uma abordagem estruturada às auditorias internas, as organizações podem criar confiança junto das entidades reguladoras e agilizar o processo de aprovação dos seus dispositivos médicos.

Como desenvolver uma lista de verificação de auditoria abrangente

O desenvolvimento de uma lista de verificação de auditoria abrangente é crucial para a realização de auditorias internas eficazes do seu sistema de gestão da qualidade de dispositivos médicos. Uma lista de verificação bem concebida garante que todos os aspectos relevantes são abrangidos e ajuda a manter a coerência entre as auditorias. Seguem-se alguns passos fundamentais para criar uma lista de verificação de auditoria completa:

  • Começa por rever os requisitos regulamentares aplicáveis, como a ISO 13485 e a FDA 21 CFR Parte 820, para identificar os elementos essenciais que têm de ser avaliados durante a auditoria.
  • Divide cada requisito em critérios específicos e mensuráveis que possam ser facilmente avaliados durante o processo de auditoria. Isto ajudará os auditores a determinar a conformidade de forma mais eficaz.
  • Organiza a lista de verificação em secções lógicas, como a responsabilidade da gestão, a conceção e o desenvolvimento, os controlos da produção e do processo e as acções correctivas e preventivas (CAPA). Esta estrutura tornará a lista de verificação mais fácil de navegar e garantirá que nenhuma área seja esquecida.
  • Inclui espaço para os auditores registarem observações, provas e quaisquer não conformidades identificadas durante a auditoria. Esta documentação será essencial para acompanhar as acções correctivas e demonstrar a conformidade aos organismos reguladores.

Elementos essenciais

Ao elaborar a tua lista de verificação de auditoria, não te esqueças de incluir os seguintes elementos essenciais:

  • Documentação do sistema de gestão da qualidade, incluindo o manual da qualidade, os procedimentos e os registos
  • Compromisso e responsabilidade da gestão, incluindo o estabelecimento de objectivos de qualidade e análises da gestão
  • Gestão de recursos, incluindo formação e competência do pessoal, infra-estruturas e ambiente de trabalho
  • Processos de realização de produtos, tais como conceção e desenvolvimento, controlos de compras, produção e prestação de serviços, e controlo de dispositivos de monitorização e medição
  • Processos de medição, análise e melhoria, incluindo auditorias internas, tratamento de reclamações, controlo de produtos não conformes, análise de dados e acções correctivas e preventivas

Ao incorporar estes elementos essenciais, a tua lista de verificação de auditoria fornecerá uma avaliação abrangente do teu sistema de gestão da qualidade dos dispositivos médicos.

Personalização para necessidades específicas

Embora uma lista de verificação geral de auditoria possa servir como uma base sólida, é importante personalizar a lista de verificação para satisfazer as necessidades específicas da tua organização. Considera os seguintes factores ao elaborar a tua lista de verificação:

  • A natureza e a complexidade dos teus dispositivos médicos
  • Os requisitos regulamentares aplicáveis aos teus mercados-alvo
  • Os processos únicos da tua organização e a estrutura do sistema de gestão da qualidade
  • O risco associado a diferentes aspectos do teu sistema de gestão da qualidade
  • Constatações de auditorias anteriores e domínios que exigem maior atenção

Ao personalizar a sua lista de verificação de auditoria, pode garantir que esta aborda os aspectos mais críticos do seu sistema de gestão da qualidade e ajuda a identificar potenciais riscos ou áreas a melhorar.

Auditorias internas regulares, utilizando uma lista de verificação abrangente e personalizada, não só o ajudarão a manter a conformidade com os requisitos regulamentares, mas também a promover a melhoria contínua e a economizar custos a longo prazo. Ao identificar e resolver os problemas numa fase inicial, pode evitar não-conformidades dispendiosas, simplificar os processos e melhorar a eficácia global do seu sistema de gestão da qualidade.

Ferramentas e recursos para auditorias internas eficazes

Para efetuar auditorias internas eficazes aos sistemas de gestão da qualidade dos dispositivos médicos, as organizações podem utilizar várias ferramentas e recursos que simplificam o processo e garantem a conformidade com os requisitos regulamentares. Estas ferramentas e recursos dividem-se em três categorias principais: soluções de software, conhecimentos profissionais e procedimentos operacionais normalizados (SOP).

Soluções de software

O software de gestão de auditorias desempenha um papel crucial na simplificação e automatização do processo de auditoria interna. Estas soluções de software oferecem características como:

  • Fluxos de trabalho automatizados para gerir tarefas e calendários de auditoria
  • Armazenamento centralizado de documentos para facilitar o acesso a informações relevantes
  • Ferramentas de colaboração para as equipas de auditoria comunicarem e partilharem os resultados
  • Capacidades de elaboração de relatórios e de análise para identificar tendências e áreas a melhorar

Ao utilizar um software de gestão de auditorias, as empresas de dispositivos médicos podem reduzir o tempo e o esforço necessários para planear, executar e documentar auditorias internas, mantendo um elevado nível de precisão e consistência.

Experiência profissional

A colaboração com auditores experientes e profissionais de gestão da qualidade pode aumentar significativamente a eficácia das auditorias internas. Estes especialistas trazem conhecimentos e competências valiosos para a mesa, incluindo:

  • Compreende profundamente os requisitos regulamentares, como a ISO 13485 e a FDA 21 CFR Parte 820
  • Familiaridade com as melhores práticas do sector e as armadilhas mais comuns
  • Capacidade para identificar riscos potenciais e recomendar medidas correctivas
  • Experiência na realização de auditorias em vários sectores de dispositivos médicos

Aproveitar a experiência destes profissionais pode ajudar as organizações a identificar áreas de melhoria, a otimizar os seus sistemas de gestão da qualidade e a preparar-se para auditorias externas de organismos notificados ou agências reguladoras.

Procedimentos Operacionais Normalizados (SOPs)

O desenvolvimento e manutenção de um conjunto abrangente de PONs é essencial para a realização de auditorias internas consistentes e completas. Estes PONs devem abranger todos os aspectos do processo de auditoria, incluindo:

  • Planeamento e programação de auditorias
  • Definir o âmbito e os critérios da auditoria
  • Realização de entrevistas e observações de auditoria
  • Documenta os resultados e as não conformidades
  • Implementação de acções correctivas e preventivas (CAPA)

Seguindo SOPs bem definidos, os auditores internos podem garantir que todas as áreas relevantes do sistema de gestão da qualidade são avaliadas e que o processo de auditoria é repetível e está em conformidade com os requisitos regulamentares. As auditorias internas regulares baseadas em PONs podem ajudar as empresas de dispositivos médicos a identificar e resolver problemas de forma proactiva, levando a uma melhor qualidade do produto, segurança dos doentes e conformidade regulamentar.

Além disso, a realização de auditorias internas regulares pode ajudar as empresas de dispositivos médicos a pouparem custos a longo prazo. Ao identificar e resolver potenciais problemas numa fase inicial, as organizações podem evitar falhas de qualidade dispendiosas, recolhas de produtos e sanções regulamentares. Investir em ferramentas e recursos de auditoria interna eficazes pode, em última análise, conduzir a poupanças de custos significativas e a um sistema de gestão da qualidade mais eficiente.

Melhores práticas para a realização de auditorias internas

Para garantir auditorias internas eficazes e valiosas, as empresas de dispositivos médicos devem seguir estas práticas recomendadas:

  • Planeia as auditorias de forma estratégica, concentrando-se em áreas de alto risco e requisitos regulamentares. Desenvolve listas de verificação completas com base nas normas e regulamentos aplicáveis.
  • Selecciona auditores qualificados com experiência em sistemas de gestão da qualidade de dispositivos médicos. Fornece-lhes a formação e os recursos necessários para realizarem auditorias completas.
  • Conduzir reuniões de abertura e de encerramento para discutir o processo de auditoria, as conclusões e os planos de melhoria. Comunica os resultados aos intervenientes relevantes.
  • Analisa a documentação, os registos e os processos relacionados com o SGQ dos dispositivos médicos. Entrevista o pessoal e observa as actividades para verificar o cumprimento.
  • Documenta as conclusões da auditoria, incluindo não conformidades e observações, utilizando um formato normalizado. Assegura que as conclusões são claras, objectivas e apoiadas por provas.

Manter a objetividade

Os auditores devem manter a objetividade durante todo o processo de auditoria para garantir resultados imparciais e fiáveis. Devias:

  • Evita conflitos de interesses e mantém-se independente das áreas que estão a ser auditadas.
  • Baseia as conclusões em provas objectivas e evita fazer suposições ou tirar conclusões sem dados de apoio suficientes.
  • Apresenta os resultados de uma forma clara e factual, sem opiniões pessoais ou preconceitos.
  • Assegura a coerência na aplicação dos critérios de auditoria e na avaliação das provas em diferentes domínios ou processos.

Formação e educação contínuas

A formação e a educação regulares são essenciais para que os auditores se mantenham actualizados em relação aos requisitos regulamentares mais recentes, às melhores práticas da indústria e às técnicas de auditoria. As empresas de dispositivos médicos devem:

  • Fornece formação contínua aos auditores sobre as normas, regulamentos e procedimentos internos aplicáveis.
  • Incentiva os auditores a participar em cursos de formação externos, workshops ou conferências para melhorar os seus conhecimentos e competências.
  • Promover uma cultura de aprendizagem e melhoria contínuas na equipa de auditoria.
  • Avalia regularmente a competência dos auditores e dá-lhes formação adicional, se necessário.

Utilizar o feedback para melhorar

As auditorias internas fornecem informações valiosas sobre a eficácia do sistema de gestão da qualidade e as oportunidades de melhoria. Para maximizar os benefícios das auditorias, as empresas de dispositivos médicos devem:

  • Analisa os resultados das auditorias para identificar tendências, questões sistémicas e áreas a melhorar.
  • Desenvolve e implementa acções correctivas e preventivas (CAPA) para resolver as não conformidades identificadas e evitar a sua recorrência.
  • Monitoriza a eficácia das medidas correctivas aplicadas e faz os ajustamentos necessários.
  • Incorpora as lições aprendidas com as auditorias no planeamento de auditorias futuras e nas actualizações do SGQ.
  • Incentiva a comunicação aberta e o feedback das entidades auditadas para melhorar continuamente o processo de auditoria e promover uma cultura de auditoria positiva.

As auditorias internas regulares podem ajudar as empresas de dispositivos médicos a poupar custos a longo prazo, identificando e resolvendo potenciais problemas numa fase inicial, evitando falhas de qualidade dispendiosas, recolhas de produtos e sanções regulamentares. Seguindo estas melhores práticas e melhorando continuamente os seus processos de auditoria interna, os fabricantes de dispositivos médicos podem melhorar a qualidade dos produtos, a segurança dos doentes e a conformidade regulamentar, optimizando simultaneamente os seus recursos e reduzindo os custos globais.

Armadilhas comuns e como evitá-las

A realização de auditorias internas é crucial para manter a conformidade e identificar áreas de melhoria no fabrico de dispositivos médicos. No entanto, existem várias armadilhas comuns que podem comprometer a eficácia destas auditorias. Ao compreender e abordar estas armadilhas, as empresas podem garantir que as suas auditorias internas são completas, eficientes e valiosas.

Falta de preparação

Uma das maiores armadilhas da auditoria interna é a falta de preparação. Sem um planeamento adequado, as auditorias podem ser desorganizadas, ineficientes e não identificarem questões críticas. Para evitar esta armadilha, as empresas devem:

  • Desenvolve um plano de auditoria abrangente que descreva o âmbito, os objectivos e o calendário da auditoria
  • Atribui funções e responsabilidades aos membros da equipa de auditoria
  • Analisa a documentação relevante, como relatórios de auditoria anteriores e planos de ação correctiva
  • Comunica o plano de auditoria a todos os intervenientes relevantes

Ao investir tempo e recursos na preparação, as empresas podem garantir que as suas auditorias internas são bem estruturadas e eficazes.

Âmbito de aplicação insuficiente

Outra armadilha comum é um âmbito de auditoria insuficiente. Se o âmbito for demasiado restrito, a auditoria pode não conseguir identificar questões sistémicas ou áreas de não conformidade. Por outro lado, se o âmbito for demasiado vasto, a auditoria pode tornar-se pesada e ineficaz. Para evitar esta armadilha, as empresas devem:

  • Define o âmbito da auditoria com base numa avaliação de riscos do sistema de gestão da qualidade
  • Concentra-se em áreas e processos de alto risco que têm um impacto significativo na qualidade dos produtos e na segurança dos doentes
  • Utiliza uma abordagem baseada no risco para dar prioridade às actividades de auditoria e atribuir recursos de forma eficaz

Ao definir um âmbito de auditoria adequado, as empresas podem garantir que as suas auditorias internas são direccionadas, eficientes e eficazes na identificação de áreas a melhorar.

Ignorar acções de acompanhamento

Uma terceira armadilha comum é ignorar as acções de acompanhamento após a auditoria. As auditorias internas só são eficazes se as questões identificadas forem tratadas e corrigidas em tempo útil. Para evitar esta armadilha, as empresas devem:

  • Estabelece um processo para documentar e acompanhar as constatações de auditoria e as acções correctivas
  • Atribui a responsabilidade pela implementação de acções correctivas a indivíduos ou equipas específicas
  • Estabelece prazos realistas para a conclusão das acções correctivas e verifica a sua eficácia
  • Comunica o estado das medidas correctivas aos quadros superiores e a outros intervenientes relevantes

Ao dar prioridade às acções de acompanhamento, as empresas podem garantir que os benefícios das auditorias internas são concretizados e que a melhoria contínua é alcançada.

Para além de evitarem estas armadilhas comuns, as auditorias internas regulares podem ajudar as empresas de dispositivos médicos a pouparem custos a longo prazo. Ao identificar e resolver os problemas numa fase inicial, as empresas podem evitar falhas de qualidade dispendiosas, recolhas de produtos e sanções regulamentares. Investir num programa de auditoria interna robusto pode, em última análise, conduzir a poupanças de custos significativas e a um sistema de gestão da qualidade mais eficiente.

Para maximizar os benefícios das auditorias internas, as empresas de dispositivos médicos também devem considerar as seguintes práticas recomendadas:

  • Dá formação aos auditores sobre as técnicas de auditoria, os requisitos regulamentares e o sistema de gestão da qualidade da empresa
  • Utiliza listas de verificação e modelos de auditoria normalizados para garantir a coerência e a exaustividade
  • Aproveita a tecnologia, como os sistemas de gestão de documentos electrónicos, para simplificar o processo de auditoria e facilitar a análise de dados
  • Fomenta uma cultura de melhoria contínua e incentiva a comunicação e a colaboração abertas entre os membros da equipa de auditoria e as entidades auditadas

Evitando as armadilhas comuns e adoptando as melhores práticas, as empresas de dispositivos médicos podem garantir que as suas auditorias internas são eficazes, eficientes e valiosas para impulsionar a melhoria contínua e manter a conformidade regulamentar.

Conclusão

Em conclusão, a realização de auditorias internas regulares é essencial para que as empresas de dispositivos médicos garantam a conformidade, identifiquem áreas a melhorar e mantenham um sistema de gestão da qualidade sólido. Seguindo as melhorespráticas, tais como um planeamento minucioso, a definição de um âmbito adequado e a definição de prioridades para as acções de acompanhamento, as empresas podem maximizar a eficácia das suas auditorias, evitando as armadilhas comuns.

Além disso, investir num programa de auditoria interna abrangente pode ajudar os fabricantes de dispositivos médicos a economizar custos a longo prazo, identificando e resolvendo problemas de forma proactiva, evitando falhas de qualidade dispendiosas, recolhas de produtos e penalizações regulamentares. Ao promover uma cultura de melhoria contínua e ao utilizar as ferramentas e os recursos correctos, as empresas podem simplificar os seus processos de auditoria e, em última análise, melhorar a qualidade dos produtos, a segurança dos doentes e a conformidade regulamentar.

Picture of Sobel Consultancy

Sobel Consultancy

Não vender as minhas informações pessoais

© 2023 | Todos os direitos reservados

LOCALIZAÇÃO

Brasil
Alameda Santos, 1165
01419-002 São Paulo - SP

EUA
1309 Coffeen Avenue STE 1200
Sheridan, Wyoming 82801

Portugal
Av. Engenheiro Duarte Pacheco, n 19 RC 54
1070-100 Lisboa

Select Your language

Selecciona a tua língua